Prisão de ventre em crianças

A prisão de ventre ou constipação pode apresentar uma série de sintomas e incômodos na criança, como dificuldade de fazer cocô e dor ao evacuar.

Como saber se meu filho está com prisão de ventre?

Em primeiro lugar tenha em mente que não existe uma frequência “normal” para fazer cocô. Você precisa pensar no que é o normal para o seu filho

Há crianças que evacuam a cada dois dias e não se incomodam com isso. Já outras fazem cocô depois de quase toda refeição. Tudo depende do organismo dela, do nível de atividade física, da ingestão de líquidos e da alimentação. 

Mas é sempre bom prestar atenção mesmo para ter certeza de que o corpo da criança está funcionando direitinho. Veja abaixo alguns sinais de intestino preso: 

  • A criança faz menos cocô que de costume, principalmente se já está há quatro dias sem evacuar e tem dificuldade para eliminar as fezes.
  • As fezes muito duras e secas, que fazem o bumbum doer.
  • Sai um pouco de cocô meio líquido, que só suja a fralda ou a roupa de baixo. Pode ser que a parte sólida do cocô esteja presa dentro dos intestinos, e só essas fezes líquidas consigam sair. É preciso cuidado para não confundir isso com diarreia.
  • O abdome fica duro ao toque.
  • A dor de barriga melhora depois de fazer cocô.
  • Aparecem traços de sangue nas fezes ou no papel higiênico, normalmente devido a fissuras na pele do ânus, provocadas pela passagem do cocô ressecado.

O que causa intestino preso?

Existem várias fatores que podem contribuir para a constipação. Entre eles estão: 

  • Alimentação pobre em fibras. Se seu filho toma muito leite e derivados, por exemplo, e quase não come frutas, verduras e grãos integrais, pode acabar ficando com prisão de ventre.
  • Medo de fazer cocô. Pode acontecer de a criança começar a segurar o cocô, por associar o ato com algo doloroso (pode ser que uma vez tenha doído), ou para não correr o risco de um acidente, se está em processo de desfraldamento.

    Trata-se nesse caso da chamada “auto-obstipação”. Observe seu filho. Se ele faz toda a cara de que quer fazer cocô, se contraindo, ficando com o rosto vermelho, mas nada acontece, talvez ele esteja segurando as fezes. 

    É bom conversar com o pediatra para adotar uma estratégia que faça a criança dissociar o ato de fazer cocô de uma experiência dolorosa. O médico pode receitar algum tipo de laxante leve. 

    Outro problema é que às vezes a criança não fica o tempo suficiente sentada no penico ou vaso sanitário para esvaziar totalmente o intestino. As fezes podem se acumular, levando a um cocô mais duro e mais difícil de eliminar, o que só aumenta o problema.
  • Desidratação. Um dos motivos de prisão de ventre pode ser a ingestão insuficiente de líquido. Se a criança fica desidratada, o organismo tenta absorver mais líquidos de qualquer coisa que ela coma ou beba, assim como do cocô que está no intestino.
  • Pouca atividade física. A movimentação do corpo aumenta a irrigação sanguínea do sistema digestivo. Se ele não fizer muita atividade física, pode ter dificuldade na hora de fazer cocô.
  • Problemas médicos. A constipação muitas vezes é sintoma de alguma condição médica, como intolerância à lactose, hipotireodismo ou diabete.

Como tratar a prisão de ventre do meu filho?

Seguem algumas sugestões para tentar aliviar o incômo e estimular o intestino:

  • Evite dar alimentos que “prendem”, como arroz, banana, maçã e cereais, e maneire no leite e nos derivados.
  • Aumente a ingestão de fibra do seu filho. Ofereça produtos integrais e capriche em alimentos que “soltam”, como mamão papaia e ameixa preta, feijão e brócolis. Se ele não gosta de ameixa preta ou purê de ameixa preta, você pode tentar acrescentar a água do cozimento da ameixa ao leite ou a um suco.
  • Dê bastante líquido ao seu filho, de preferência água. Para saber se ele está bebendo o suficiente, observe se ele faz xixi a cada cinco ou seis horas, no mínimo.
  • Incentive-o a correr e brincar bastante todos os dias.
  • Faça uma massagem na barriga da criança, três dedos abaixo do umbigo. Pressione com seus dedos até sentir uma massa dura. Faça uma pressão constante no local, por cerca de três minutos, mas sem incomodar seu filho.
  • Não force a barra para que seu filho abandone a fralda se ele ainda não estiver preparado. Se perceber que ele está segurando o cocô, aumente a ingestão de fibras na alimentação e veja se não é o caso de deixar o desfraldamento de lado por enquanto.
  • Incentive-o a ir ao banheiro assim que tiver vontade. Se ele nunca sente vontade, faça-o passar dez minutos sentado no penico ou na privada depois do café da manhã e do jantar. Crianças que sofrem muito de prisão de ventre podem perder a sensibilidade de perceber que precisam evacuar. 

    Se seu filho vai à escola ou creche, peça à professora que o leve ao banheiro. Há crianças que não gostam de fazer cocô fora de casa.
  • Converse com o pediatra. Ele pode sugerir um leve laxativo, algum tipo de lubrificante natural, fibras solúveis ou supositórios. Supositórios de glicerina ou medicamentos para aplicar no ânus são eficientes se empregados de vez em quando, mas não podem ser usados como regra, porque a criança pode ficar dependente deles para fazer cocô.
  • Fale com o médico também se estiver saindo sangue na hora em que seu filho consegue fazer o cocô. Ele pode receitar algum creme para ajudar na cicatrização.

prenda a fazer uma refeição para intestino ressecado 

Escrito para o BabyCenter Brasil
Aprovado pelo Conselho Médico do BabyCenter Brasil

Facebook Comments
Compartilhe esta notícia:
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *